Projeto na Estrutural precisa de apoio para inaugurar a tão esperada creche

Com a ajuda de voluntários e da própria comunidade, a Casa de Paternidade, na Cidade Estrutural, ajuda crianças e adolescentes a entenderem o seu papel na sociedade

A solidariedade e o respeito ao próximo criam um ambiente aconchegante na Cidade Estrutural. Nesse intuito, entre conversas despretensiosas, cresceu o projeto Casa de Paternidade, na comunidade Santa Luzia. E com o foco muito bem delimitado: as crianças. Quatro anos se passaram, o número de meninos e meninas aumentou, as mães iam só buscar, mas acabaram ficando, as crianças viraram adolescentes e, hoje, cerca de 90 famílias são abraçadas pela ideia de repensar a infância e o empoderamento das pessoas para uma perspectiva de futuro melhor. Como os planos não param, em janeiro será inaugurada a creche da Casa de Paternidade, para acolher até 50 bebês de mães da comunidade.

creche

Em meio ao lamaçal, a Casa de Paternidade é um oásis para crianças, adolescentes e adultos, como Polliana (abaixo), que desde 2011 frequenta o local e, hoje, leva os filhos

A lama atrapalha, mas não impede o trabalho. Nem que, para isso, o espaço onde o projeto funciona tenha que ser lavado três vezes por semana. As mães se encarregam do serviço, até porque as atividades por lá começam no domingo, no fim da tarde, com o Monitoramento Jovem de Política Pública, o MJPop, para os adolescentes. Também ocorre na quarta-feira à noite. Em um dia, o papo é sério, tem discussão de propostas para a casa. No outro dia, apenas lazer: filme, gincana e dinâmicas de grupo.

Hoje, os adolescentes são apenas monitorados. Conseguiram a tão sonhada “independência” — uma das missões do projeto. A ideia é ajudar a comunidade a perceber sua capacidade para, depois, ela caminhar sozinha. “Entramos aqui como colonizadores, achando que sabíamos o que era melhor para eles. Passamos, hoje, para colaboradores, vendo e fazendo com que eles vejam que cada um é uma potência. Queremos empoderá-los para que, daqui a um tempo, não sejamos mais necessárias”, explicou a voluntária e criadora, a técnica judiciária Aline Albernaz, 34 anos.

Sábado é dia do Educamar, um subprojeto dentro do A criança é uma pessoa no qual são feitas atividades externas: visitas a museus, exposições e teatros. Como os recursos são escassos, a equipe tenta mapear os passeios de baixo custo ou totalmente gratuitos. Para diminuir ainda mais os gastos, as mães ajudam na produção de pães de queijo e suco. A falta de dinheiro é, justamente, o que vem preocupando os voluntários. A creche, prevista para ser inaugurada em janeiro, ainda não está concluída. Falta uma das partes mais importantes, o quintal, com área verde e espaço para atividades ao ar livre. E não há mais recursos. “Não temos nenhuma renda ou fonte frequente de doação, que seja todo mês. As pessoas se mobilizam por um pedido específico, vez ou outra, nas redes sociais”, conta Aline.

Colaboradores
As poucas colaborações são o que, de fato, ajuda a Casa de Paternidade. A exemplo de Newton Pereira de Souza, 30, e Késsya Siqueira da Silva, 22. Os dois moravam fora da Estrutural, conheceram o projeto e se mudaram para a comunidade de Santa Luzia. A ideia era se doar apenas ao projeto, mas o amor surgiu. O casamento será em julho do ano que vem. “Meu coração ficava inquieto de pensar que muitos jovens estavam se perdendo aqui para as drogas e, consequentemente, para o crime. Pois eles veem na tevê aquilo que não podem comprar, mas dão um jeito de conseguir”, lamentou Newton. O voluntário, inclusive, deixou o antigo emprego para trabalhar apenas à noite e ter as tardes livres para a Casa de Paternidade. “Aqui não é para ser assistencialista. No longo prazo, veremos as mudanças. Melhorias no cuidado uns com os outros. Um trabalho pontual para criar uma consciência de que não vale a pena investir nas coisas ruins”, afirmou.

Para a noiva, Késsya, estudante de serviço social na Universidade de Brasília (UnB), era imprescindível mudar para Santa Luzia. Somente lá, segundo ela, eles sentiriam na pele a dor da comunidade. “Entendi que era importante estar aqui, vivenciar o dia a dia deles, criar um sentimento de pertencimento. De que aqui não existem inimigos, mas pessoas que precisam de amigos para ajudar”, comentou a jovem. Os dois auxiliam nos trabalhos da casa, monitoram os jovens e crianças e ajudam na rotina do projeto. “A ausência do estado faz com que a demanda seja ainda maior, pois falta tudo, até saneamento básico. Se tivesse pelo menos o básico, como serviço de saúde, por exemplo, as coisas seriam mais fáceis”, comentou a advogada e voluntária Thaysa Gonçalves, 32 anos.

Polliana Feitosa Teixeira, 27, é um dos frutos do projeto. Tem dois filhos atendidos pela casa e está se qualificando para trabalhar na creche. Segundo ela, além de se ajudar, ela consegue fazer algo pelo próximo por meio do serviço voluntário. Ela frequenta o lugar desde que abriu, em 2011. “Conseguimos mudar a visão de onde moramos. Antes, só víamos isso aqui como um ambiente de drogas, adolescentes grávidas, e isso já mudou um pouco, porque, agora, em vez de ficarem na rua procurando coisa errada, eles têm um compromisso”, observou.

Quer ajudar?
Todas as doações são bem-vindas: roupas, calçados, produtos de higiene e, principalmente, alimentos.

Contatos:
Fernanda (9295-3635);
Aline (8641-0461) e
Newton (8209-1553).

fonte: Correio Braziliense

Brasília-DF: Justiça volta a suspender eleição para conselheiros tutelares no DF

Votação ocorreria no domingo e elegeria 200 pessoas para quatro anos

luluNova decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal voltou a suspender a eleição para conselheiros tutelares, que aconteceria neste domingo (4). O pleito ocorreria entre 9h e 17h, e os 200 selecionados exerceriam o cargo entre 2016 e 2019…

O G1 procurou o GDF para saber qual o posicionamento do Executivo a respeito, mas não recebeu retorno até a publicação desta reportagem.

A decisão é assinada pela desembargadora Maria de Lourdes Abreu e foi publicada nesta quinta-feira (1º). Esta é a segunda vez que o concurso é suspenso. Na primeira, a Justiça acatou o pedido de um candidato que teve o registro para concorrência negado por falta de apresentação de documentos. A liminar foi derrubada no dia 25 de setembro.

De acordo com o governo, 1,8 mil pessoas tiveram candidatura indeferida na capital do país – 24,6% dos concorrentes. Conselheiros que buscam se reeleger também estariam nessa situação.

A escolha dos conselheiros tutelares é dividida em duas etapas. A primeira é o processo seletivo, com prova de conhecimentos específicos, de caráter eliminatório. A segunda é a eleição. O teste específico aconteceu em 5 de junho. Ao todo existem 40 conselhos, e os salários são de R$ 4,8 mil.

Criados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, os conselhos tutelares são responsáveis por zelar pelos direitos de menores de idade. Qualquer pessoa com mais de 16 anos poderá votar.

Fonte: G1

3º NATAL ANTECIPADO RENOVADORES (13/12) – PORQUE AJUDAR FAZ BEM!

Muitas crianças no dia de Natal não ganham nenhum presente. Algumas inclusive, nem família tem. Não tem carinho, amor, festa, presentes, ceia…

É claro que não podemos mudar essa situação de uma hora para outra, mas o objetivo deste pedido é levar a essas crianças, pelo menos um pouquinho de carinho, amor, compaixão, alegria e a magia do Natal. O NATAL ANTECIPADO RENOVADORES chega ao seu 3º ano com a mesma disposição em fazer sorrir os pequeninos do DF, ajude-nos!

natal 14

O Papai Noel já nos escalou para levar os presentes que forem doados, mas ele precisa da sua ajuda! E sabe como? Lembra daquele brinquedo que está guardado no armário há muito tempo, que ninguém usa mais? Pois é! Esse, se você quiser, pode ser doado!

Agora, você também pode passar essa mensagem para outra pessoas, porque com certeza muitos também podem ajudar doando brinquedos, alimentos, material escolar. Pode ser usado, mas se for novo é melhor ainda! O legal é que levaremos o espírito de Natal para essas crianças. E nesse dia os problemas serão deixados para trás.

A doação é importante, porém, é fundamental o voluntariado, pois a ação e contato direto com as famílias contempladas faz toda diferença. Portanto, agende o dia 13 de Dezembro para fazer feliz algumas crianças com sua presença!

Informações Importantes:

VALOR DA CONTRIBUIÇÃO: R$ 40,00 (quarenta reais)

Com esse valor você poderá comprar:

– 1 (uma) cesta básica com 14 itens ou;

– Brinquedos para até 3 (três) crianças ou;

– Itens escolares para o inicio do ano letivo de 2015.

O valor não será repassado. Cada colaborador irá adquirir os produtos da doação no estabelecimento comercial que preferir. Entretanto, solicitamos a todos que comuniquem aos organizadores o que for doar, assim poderemos equilibrar a variedade de donativos.

O local (ou locais) de doação será escolhido dentre as sugestões dos doadores ainda na primeira semana de Dezembro.

CONTATOS:

@: renovadoresudf@yahoo.com.br

Whatsapp: 8530-4412 | 9999-4444

Ajude também compartilhando!

Faça diferença no Natal de uma Família. Participe doando alimentos, roupas, brinquedos ou material escolar!

Pedindo socorro: Vila do Pequenino Jesus precisa de caixas de suco e luvas descartáveis

Quem puder ajudar. Eles mandam buscar

Vila-do-Pequenino-Jesus_41590_image

Entre em contato com eles e veja se você pode ajudar de alguma forma.

Quem quiser ajudar, fazendo doação à Vila do Pequenino Jesus, pode entrar em contato por meio dos telefones 3526-0506 e 8140-0198. O endereço é SHIS QI 26, Chácara 27, no Lago Sul. …

 A Vila do Pequenino Jesus é uma casa de acolhimento para crianças, jovens e adultos especiais sem fins lucrativos. Lá eles acolhem pessoas que por diversas razões estavam sozinhas no mundo. Acolhem com alegria, amor e carinho. Mas a Vila do Pequenino Jesus também precisa receber amor e carinho para poder continuar ajudando as pessoas que ali são cuidadas.

 A forma que hoje temos para exprimir carinho, amor e respeito às pessoas que estão acolhidas na Vila do Pequenino Jesus é fazendo a doação de sucos em caixa e de luvas descartáveis, tamanho M.

 A retribuição à doação que for feita é a felicidade, porque, para ser feliz é necessário pensar na felicidade do outro. Quem der um copo de água a um pequenino, ensina o Evangelho, não perderá a sua recompensa. A caridade nos alivia a alma, nos incute o desejo de sempre fazer o bem. Independente de religão ou convicção filosófica, fazer o bem nos faz bem.

Fonte: Blog Saber Melhor

Orfanatos e creches sofrem por falta de recursos ao dependerem apenas de doações

creche

Há poucos quilômetros da Capital, crianças e adolescentes vivem à margem da sociedade, abandonados por seus progenitores ou deixados em creches durante todo o dia para que os pais possam trabalhar. …

Os orfanatos e creches é a única opção para quem foi desamparado ou não tem condições de pagar uma creche particular para seus filhos.

O Orfanato Cristo Vivo, fundado em 1985, localizado na cidade de Valparaíso, é um dos exemplos de instituições que sobrevivem apenas por meio de doações, muitas vezes incertas. O local abriga cerca de 110 crianças e adolescentes, na faixa etária entre 5 a 15 anos. Lá se desenvolvem atividades nos períodos matutino e vespertino, como: artesanato, informática, cabeleireiro, costura. No entanto, nada é voltado para a área educacional. “Não temos nenhum vínculo governamental. Não recebemos nenhuma verba do governo. Às vezes temos um pouco de suprimento. Em outras ocasiões, ficamos sem receber nada. Dependemos apenas de doações voluntárias”, afirmou Alex Lucas, secretário administrativo do orfanato.

Situação mais precária é a da Comunidade Católica Azinheiras da Justiça, que é administrada pela irmã Bernarda Bastos, uma leiga consagrada, que dedica sua vida aos menores abandonados e às mães que foram desamparadas por seus maridos. “Começamos nosso trabalho em 2002 com as crianças, mas logo após passamos a acolher mulheres que estavam grávidas e não tinham para onde ir. Com o ingresso das mulheres em nossa comunidade, criamos a Casa Maria Madalena, uma filial que cuida dessas mulheres”, afirmou irmã Bernarda. Ainda de acordo com a irmã, já houve vários períodos em que faltaram mantimentos na comunidade. “Já tiveram dias que chegou a faltar até arroz e feijão. Minha esperança é que estamos firmando um convênio de parceria com a Prefeitura de Valparaíso, o que vai ajudar bastante”, finalizou a religiosa.

Diante desse cenário de abandono e carência, nasceu o Grupo Solidário, fundado e coordenado por Diego Assis, um jovem de 26 anos, que teve a ousadia de formar um grupo de voluntários para ajudar as crianças carentes do Entorno. O grupo já conta com 465 membros em uma comunidade do Facebook, além de já ter sido entrevistado pela TV Anhanguera, filial da Rede Globo em Luziânia. “Nossa missão é ajudar os orfanatos, creches e bairros carentes. Não temos nenhuma ajuda política ou algo do tipo. Contribuímos principalmente em datas especiais, como na Páscoa e no Dia das Crianças, com alimentos e brinquedos”, declarou Diego.  O coordenador do Grupo Solidário revela sua gratidão em ajudar as crianças. “É maravilhoso vermos o sorriso estampado no rosto das crianças quando são presenteadas”, concluiu.

Contato para doações: INSTITUIÇÃO TELEFONE

Comunidade Católica Azinheiras da Justiça

(61) 3629-6207 ou (61) 9158-6611

Orfanato Cristo Vivo

(61) 3629-2806

Casas Lares Rebecca Jenkins

(61) 3625-2312

Casa de Moisés

(61) 3618-5322

Lar das Crianças André Luiz

(61) 3621-1349

Orfanato Coração de Maria

(61) 3620-0097

Fonte: Fred Lima – Portal Guardian Noticias

AJUDAR FAZ BEM – DOE MATERIAL ESCOLAR

Chegou o momento de contribuir amig@s! Para que 2014 seja um ano letivo repleto de aprendizado e novas oportunidades, o RENOVADORES pretende arrecadar, até o dia 30 de Janeiro, o material escolar que será utilizado durante o novo ano pelas crianças assistidas pela Creche Comunitária da Chácara Santa Luzia, Estrutural – DF.

cartaz

 A compra do material escolar é uma das despesas mais pesadas no início do ano, e mesmo sendo necessária, muitas famílias ainda se desdobram para conseguir adquirir pelo menos os itens básicos das extensas listas.

IMG-20131225-WA0014A Creche Comunitária da Chácara Santa Luzia, localizada na Quadra 17 da Cidade Estrutural (ao lado do lixão) cuida de 57 crianças em idade escolar, todas em situação de pobreza. Ao contribuir você estará dando oportunidade de um futuro mais digno às crianças daquela comunidade.

Doe qualquer material escolar em bom estado ou monte um KIT ESCOLAR BÁSICO (lápis, canetas, giz de cera, caderno, borracha, régua, apontador).

Entre em contato e saiba como ajudar a Creche Comunitária e outras Instituições parceiras! FAÇA PARTE DESSA CORRENTE!

Contatos:

(61) 8530-4412 | (61) 9999-4444 | (61) 9655-7978

e-mail: renovadoresudf@yahoo.com.br

2ª EDIÇÃO DO NATAL ANTECIPADO RENOVADORES – ALEGRIA COMPARTILHADA

cartaz-2

A 2ª Edição do Natal Antecipado RENOVADORES UDF foi extremamente gratificante aos voluntários do Projeto. O local escolhido para receber as contribuições foi a Creche Comunitária da Chácara Santa Luzia na Cidade da Estrutural, localizada a cerca de 20 quilômetros do Centro da Capital Federal.

O projeto idealizado por estudantes universitários do UDFCentro Universitário, conta com o apoio dos Centros Acadêmicos de Direito, Enfermagem, Ciência Política e Relações Internacionais e do Diretório Central dos Estudantes do UDF, além de parceiros externos à Instituição de Ensino, dentre os quais VESTCONCURSOS e ASFERIF.

japa

Voluntário Eduardo Nakandakari organizando a fila dos brinquedos

Nesta edição do projeto um gesto singelo e simples representou uma grata contribuição. O voluntário Eduardo Nakandakari, ao comemorar seu aniversário, pediu aos seus convidados apenas 1 (um) presente: “que cada um levasse qualquer alimento não perecível! Nada de bebidas, roupas ou cd’! Apenas comida”. O resultado foi uma arrecadação de dezenas de cestas básicas, todas doadas neste fim de ano a três Instituições carentes parceiras do Projeto.

A criançada da comunidade também recebeu doces e brinquedos trazidos pelos voluntáriosIMG-20131225-WA0011 para alegrar seu Natal. Os responsáveis pela Creche receberam 150 (cento e cinquenta) kits de higienização bucal para aplicação de flúor em todas as crianças atendidas na Creche e àquelas que moram na vizinhança.

A Creche Comunitária é dirigida pela cuidadora Maria de Jesus e outras 16 voluntárias, todas moradoras da região da Chácara Santa Luzia, local não legalizado e esquecido pelo poder público do Distrito Federal. IMG-20131225-WA0014A Instituição funciona de forma precária e todas as doações recebidas não irão servir por muito tempo, por tal motivo o voluntariado é fundamental para a manutenção do Espaço durante todo o ano.

IMG-20131225-WA0016Ao final da visita, Maria de Jesus nos pediu auxílio na arrecadação de material escolar para as crianças iniciarem bem mais um ano letivo. Portanto, deixamos aqui o pedido de ajuda na arrecadação e entrega de kits escolares para as mais de 80 crianças em idade escolar atendidas pela Creche Comunitária.

 

Para ajudar nesse e em outros projetos entre em contato:

FONES: (61) 8530-4412 | (61) 9999-4444 | (61) 9951-1206 | (61) 9655-7978