Problemas no teste: Espanha e Uruguai têm transtornos no Recife

Falta de locais para treinos, buracos, lama e trânsito pesado são algumas dificuldades. Uruguaios reclamam, e espanhóis são mais políticos

 

Recife tem um ano para melhorar. A tabela da Copa das Confederações, essa espécie de teste para 2014, fez de Espanha e Uruguai as cobaias para o que de bom e de ruim a capital pernambucana tem a oferecer para as seleções que a visitarem. E os problemas foram visíveis – um contraste à beleza da cidade e à animação do povo com a presença dos craques estrangeiros. Da noite de quarta-feira, quando as duas delegações chegaram a Pernambuco, até este sábado, quando ocorrem os últimos treinamentos antes da estreia no torneio, houve problemas. Em parte, por azar – dada a forte chuva dos últimos dias; mas principalmente por falhas de estrutura.

ônibus Uruguai estrada de acesso CT do Sport (Foto: Edgar Maciel de Sá) Ônibus do Uruguai a caminho do treino: estrada muito ruim antes de chegar ao CT (Foto: Franco Benites)

As dificuldades foram maiores com o Uruguai. E as reclamações também. A Espanha foi mais política, mas não ficou sem problemas. Os transtornos foram variados: trânsito infernal (mesmo com batedores), buracos na estrada, lama e, o mais grave, falta de campos de treinamentos adequados para receber as duas seleções ao mesmo tempo. Além disso, ao longo da semana foi possível ver que a Arena Pernambuco não está totalmente pronta, mesmo que já tenha sido inaugurada. Na terça-feira, ela seguia em obras, especialmente em sua parte externa.

Uruguai revoltado

Sem CT para treinar, Uruguai trabalhou em
academia no primeiro dia no Brasil

uruguai 1A Celeste sofreu mais. Na última quinta-feira, simplesmente não conseguiu um lugar para treinar. Por sorteio, o Arruda seria o local de preparação. Mas segundo os responsáveis pelo estádio, as chuvas que caíram na capital pernambucana impediram o último corte do gramado exigido pela Fifa. Com isso, a atividade foi transferida para o centro de treinamento do Sport, localizado na cidade de Paulista, região metropolitana do Recife. Porém, a distância de uma hora do centro até lá também desagradou. Por fim, o primeiro dia de trabalho acabou quase perdido, apenas com uma atividade em uma academia próxima ao hotel.

Nesse dia, a cidade registrou repetidos pontos de alagamento, incluindo a avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem, ponto turístico do Recife. O mesmo havia acontecido há uma semana, quando a administração municipal se mostrou preocupada em evitar uma imagem ruim na Copa das Confederações e planejou tomar medidas. Não adiantou.

Os problemas em sequência geraram críticas do técnico Óscar Tabárez e até uma reunião dos representantes da Associação Uruguaia de Futebol (AUF) com a Fifa para buscar soluções. Segundo o comandante, toda a situação foi uma grande surpresa para o Uruguai.

– Acredito que, num torneio como esse, o brilho das atuações depende da preparação das equipes. Todos sabiam como chove em junho e julho no Recife. Por isso, estamos surpresos. Não acreditávamos que iríamos passar pela situação de ter que buscar um campo capaz de receber o treinamento – desabafou o treinador.

 
Funcionários tentam arrumar estrada pouco antes da passagem do ônibus (Foto: Edgard Maciel)

Funcionários tentam arrumar estrada pouco antes
da passagem do ônibus (Foto: Edgard Maciel)

Na última sexta-feira, enfim, o Uruguai conseguiu treinar no campo. Com o tempo mais firme no Recife, a delegação adiantou o horário da atividade de 16h para 15h15 e confirmou o trabalho para o CT do Sport. Mas antes de chegar até lá, mais problemas pelo caminho. Além da rodovia esburacada, a estrada que dá acesso ao local, de terra, precisou de reparos emergenciais da Prefeitura. Cerca de 30 minutos antes de o ônibus passar, funcionários ainda espalhavam quatro caminhões de brita sobre a lama com a ajuda de um trator. Ao retornar para o hotel, o zagueiro Diego Lugano reclamou da distância até o local do treino enquanto distribuía autógrafos aos torcedores. E não mudou seu discurso na entrevista coletiva.

– Não tínhamos toda essa distância dentro do previsto. Cansa demais. É uma coisa que precisa ser melhorada. O básico para um elenco de futebol é ter um campo em boas condições para treinar e perto do hotel. É o mínimo que queríamos. Trata-se de uma crítica construtiva. Não queremos hotel cinco estrelas, tratamento vip, nada disso. Só um campo perto do hotel. É muito simples. Somos uruguaios e estamos acostumados com coisas até piores, mas em uma competição desse nível é algo que não pode acontecer. Tomara que seja resolvido logo – frisou.

O Uruguai volta a treinar na manhã deste sábado no CT do Sport. À noite, o tradicional treino de reconhecimento no palco da partida não será realizado. Talvez já uma atitude em protesto aos problemas enfrentados nos últimos dias.

Espanha também com dificuldades

uruguai 3

Lama no lado de fora, mas campo bom bom estado
para a Espanha (Foto: Alexandre Alliatti)

Os problemas da Espanha foram menos graves. A diferença é que a Fúria teve sempre um local fixo, e satisfatório, para treinar – o CT Wilson Campos, do Náutico. Consequentemente, os campeões do mundo foram menos críticos em suas manifestações.

Mas houve ressalvas. A principal dificuldade dos espanhóis aconteceu nesta sexta-feira, no deslocamento do hotel, na praia de Boa Viagem, para o treino. O trajeto de cerca de 30 quilômetros foi percorrido em pouco menos de uma hora e meia. Nem os batedores da polícia conseguiram tirar o nó do tráfego. Um dia antes, o ônibus circulou por 40 minutos.

A distância causou certo incômodo na delegação europeia. Até porque o caminho não é dos melhores. Casillas, Xavi, Iniesta e outros craques passaram de ônibus por vias esburacadas e, na quinta-feira, até alagadas em pequenos trechos.

Queremos ficar cômodos e ter bons campos. O resto não tem muita importância”
Vicente del Bosque, técnico da Espanha

No CT, por outro lado, encontraram um gramado muito bom, capaz de resistir inclusive às fortes chuvas. Do lado de fora, porém, havia muita lama, para azar de jornalistas, voluntários e policiais. A imprensa estrangeira chegou a fazer imagens do lamaçal.

Mas o discurso espanhol foi elogioso. O técnico Vicente del Bosque, em entrevista para a TV Globo, foi convidado a dar sua opinião a respeito da estrutura que encontrou na primeira parte da passagem pelo Brasil. Ele titubeou um pouco antes de responder, mas se mostrou satisfeito.

– Bem, não tenho muito do que me queixar. Devemos contemplar as diferentes oportunidades que nos são oferecidas e ser generosos com todo mundo. Queremos ficar cômodos e ter bons campos. O resto não tem muita importância.

Ao contrário do Uruguai, a Espanha conhecerá neste sábado a Arena Pernambuco. Seu treinamento será às 18h15m. A partida entre as duas equipes ocorre às 19h no domingo, e a expectativa é de que a grande quantidade de entulho que estava em torno do estádio durante a semana tenha sido removida.

Arena Pernambuco Obras (Foto: Edgard Maciel De Sá)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s