Funcionária é indenizada em 15 mil por revista íntima inadequada

bretas

Uma funcionária dos Supermercados Bretas vai receber R$15 mil a título de indenização por ter tido os seios e as nádegas apalpadas durante revista, segundo decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

 De acordo com a assessoria de imprensa do tribunal, a revista íntima consistia em um empregado “passar a mão no corpo dos funcionários, inclusive nas nádegas, abaixo, entre os seios e também entre as pernas”.

 A funcionária, que exercia a função de segurança, trabalhou no local por nove anos e ao ser demitida entrou com o processo. Após perder em primeira instância, a rede de supermercados alegou ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da Bahia que já deixou de fazer as revistas, mas que tinha o direito de resguardar o patrimônio da empresa.

 O TRT-BA considerou que embora fosse lícita a fiscalizações de seus bens e mercadorias, a conduta não poderia ferir princípios como a dignidade e intimidade do empregado. O TST concordou com a decisão e acrescentou que há entendimento pacífico no tribunal no sentido de que o procedimento, quando invade a esfera íntima do empregado, gera o direito a reparação por danos morais.

 Procurada, a rede de supermercados Bretas não se manifestou sobre a decisão.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s